Coordenador da 4ª Coorpin pede apoio da população para encontrar ‘Júnior Cabeça’, acusado de matar topiqueiro em S. A. de Jesus


O coordenador da 4ª Coorpin (Coordenadoria Regional de Polícia do Interior), Dr. Edílson Magalhães, pontuou entrevista ao repórter Joselito Fróes da Recôncavo FM sobre o andamento do caso em que Junior “Cabeça”, que já tem prisão preventiva decretada, é acusado de atropelar e matar propositalmente o topiqueiro Erivaldo Paulo de Jesus Santos no último dia 15 de março na Avenida ACM, em Santo Antônio de Jesus.

MANIFESTAÇÕES:

De acordo com o coordenador, as manifestações realizadas por familiares e amigos da vítima foi o que ocasionou a fuga do acusado, “tendo em vista de que já havia uma ordem de prisão em sigilo decretada, o Dr. Orlando Corsino ainda estava em fase de conclusão do inquérito, mas o acusado está com prisão preventiva decretada. Já foi dada a oportunidade de Junior ‘Cabeça’ se apresentar espontaneamente, mas o mesmo se recusa e continua foragido da Justiça. Naquela época não podíamos falar, pois a prisão estava sob sigilo. A família chegou a fazer uma manifestação, mas a prisão já havia sido pedida pela Polícia Civil, com parecer favorável do MP (Ministério Público) e o Juiz decretou a prisão no mesmo dia. Mas como a manifestação foi grande, o acusado fugiu antes, o que não ajudou. Pedimos a colaboração das pessoas para confiar no trabalho da polícia e também no da justiça. Naquela época os familiares queriam que a gente prendesse o acusado aleatoriamente, mas nós não podemos ser superiores a lei, ele cometeu o crime de forma dolosa, propositalmente, mas ainda tínhamos eu colher as provas. Nem marginais de alta periculosidade não podemos prender sem provas. Pedimos a compreensão da população em relação as manifestações, é um direito do cidadão, mas antes procurem falar com a polícia, procurem um advogado para ajudar. Algumas manifestações acabam prejudicando, porque já era para o Junior estar preso. Se todos se mantivessem quietos, ele iria se apresentar e iria ser preso devido a prisão em sigilo”, declarou.

POLÍCIA CIVIL CONFIRMA O CRIME:

Dr. Edílson confirmou que de fato, a vítima foi atropelada intencionalmente, além disto, pediu a colaboração dos cidadãos com informações sobre a localização do acusado, “na visão da polícia, o atropelo teve a intenção de matar. Mas ainda precisamos prendê-lo, para possivelmente fazer a reconstituição do crime e concluir o inquérito. Estamos agora aguardando o apoio da população. Quem souber de informações sobre o paradeiro de “Junior Cabeça” falem com qualquer policial de qualquer instituição para concluirmos o inquérito e o colocá-lo na prisão”, concluiu.

Vozdabahia