Colina Sagrada tem primeira etapa entregue pela Prefeitura


A dois dias da maior manifestação religiosa de rua da Bahia, o principal palco da Lavagem do Bonfim – a Colina Sagrada – teve a primeira etapa da requalificação entregue pela Prefeitura nesta terça-feira (15). Em clima de fé, devoção e agradecimento, a cerimônia contou com as presenças do prefeito ACM Neto e do vice, Bruno Reis; do reitor da Basílica Santuário Senhor Bom Jesus do Bonfim, padre Edson Menezes; demais secretários, técnicos e gestores municipais, imprensa e população.

Na ocasião, o prefeito agradeceu ao empenho de toda a equipe envolvida para a realização da obra, incluindo o esforço para conclusão dessa primeira etapa antes da lavagem e, assim, não prejudicar o andamento da festa. “Esse é um momento muito especial, no qual os baianos já começam a viver o clima da lavagem. É claro, não há nada melhor do que entregar essa grande praça inteiramente requalificada, onde nós vamos não apenas ter um dos  principais cartões postais ainda mais bonito, mas também a possibilidade de realização de grandes eventos como as missas campais. É ter esse patrimônio da história cultura e fé ainda mais valorizado, que é a Colina Sagrada”, relatou.

O padre Edson Menezes resumiu o sentimento de toda a comunidade quanto à intervenção em um dos locais mais representativos da capital baiana. “Estamos todos felizes com a obra de requalificação da praça da nossa Basílica Santuário do Senhor do Bonfim, que atende a um anseio da população da Cidade Baixa, dos turistas, dos fieis, dos devotos e de todos os soteropolitanos. De modo particular, estamos felizes porque o planejamento e execução dos serviços levaram em conta a sua finalidade principal, que é transformar a antiga praça do Bonfim em espaço para celebrações de missas campais, de outras atividades religiosas próprias de um santuário, e de favorecer aos turistas e peregrinos um ambiente mais acolhedor”.

O prefeito também lembrou que outra intervenção, fruto de emenda parlamentar, também está sendo realizada pela Prefeitura: a requalificação do altar da Basílica do Bonfim. Prevista para ser concluída em 40 dias e com investimento de R$643 mil, a iniciativa é coordenada pela Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Secult), por meio da Fundação Mário Leal Ferreira (FMLF). A lista de melhorias engloba recuperação da capela-mor, cobertura, restauração do retábulo do altar-mor e do forro, recuperação de escada atrás do nicho e instalações elétricas, além das portas de acesso às sacristias, tribunas, molduras dos óculos do forro e pilastras decoradas.

Mudanças – A Praça do Largo foi ampliada, dando a sensação de continuidade das escadarias da igreja. Toda a pavimentação do local passou a ser composta por mosaico e grafismos marcados no piso em pedra portuguesa. A Prefeitura também realiza obras no Abrigo de Velas, um espaço próprio para os fiéis acenderem velas, eliminando os riscos de incêndio na igreja (o mesmo local também será ponto de distribuição de água benta para os fiéis).

Outra parte da intervenção, que diz respeito à parte baixa da Colina Sagrada, isto é, a Praça Euzébio de Matos, também conhecida como Baixa do Bonfim, segue em obras e será entregue até abril, mas sem prejudicar os devotos da lavagem. No quesito trânsito, a requalificação da Colina Sagrada promove uma mudança significativa no local através do redesenho do sistema viário, com retirada das vias em frente à entrada da escadaria principal da Basílica do Bonfim e à Casa dos Romeiros. Os motoristas devem fazer o retorno pelos fundos do templo, junto à Casa do Juiz da Devoção, na esquina com a Ladeira dos Romeiros.

O projeto urbanístico foi idealizado pela Fundação Mário Leal Ferreira (FMLF) em conjunto com a comunidade do Bonfim. As obras são realizadas sob a coordenação da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Obras Públicas (Seinfra), por meio da Superintendência de Obras Públicas (Sucop), com investimento de R$11,5 milhões.

Além da parte urbanística, também foi promovido o ordenamento dos ambulantes que atuam no local, por meio da Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop). Os profissionais receberam novos coletes e crachás de identificação.

Segunda etapa – Prevista para ser entregue no fim do mês de abril, a segunda etapa envolve a parte baixa da Colina Sagrada, a Praça Euzébio de Matos, também conhecida como Baixa do Bonfim. O local é bastante utilizado por moradores e visitantes, além de possuir importante papel nos grandes eventos religiosos da igreja. A requalificação nesse trecho contará com redesenho da área, que ficará integrada aos arcos da Ladeira do Bonfim. Com isso, haverá a reativação dos vãos dos arcos – os locais vão servir para atividades comerciais e de serviços.

No centro da área de convivência e lazer, será disposto um pequeno palco para realização de eventos pela comunidade. Parte da área será destinada à criação de um estacionamento público, incluindo baias para ônibus e vagas para vans e motocicletas, para atender à demanda das vagas excluídas no Largo do Bonfim. A ligação entre as partes alta e baixa da Colina Sagrada ocorrerá por meio de rampas e escadarias que serão reposicionadas com acessibilidade universal.

A requalificação da Colina Sagrada tem como diretriz a preservação e valorização do Conjunto Arquitetônico, Urbanístico e Paisagístico da Colina Sagrada do Senhor do Bonfim, tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Ao longo dos anos, a Igreja do Bonfim e entorno constituíram um importante ponto da identidade cultural baiana, de expressivo valor afetivo para os fiéis, da vivência da diversidade e da tolerância religiosas.

A requalificação da Colina Sagrada vai complementar o chamado Caminho da Fé – projeto que vai transformar a Avenida Dendezeiros, que liga o Memorial de Irmã Dulce (Largo de Roma) à Basílica do Bonfim (Bonfim), em um local de peregrinação de fiéis e que vai impulsionar o turismo religioso na capital baiana.