Coordenador do DPT diz que apartamento onde a jovem foi espancada tinha indícios de ação violenta


Dr. Lino Oliveira, coordenador do DPT (Departamento de Polícia Técnica) de Santo Antônio de Jesus, comentou em entrevista nesta quarta-feira (16) a respeito do que viu no apartamento da jovem Clara Emanuelle Santos Vieira, 20 anos, que acusou o marido Filipe Pedreira de agressão e tortura.

 

Segundo Lino, o cenário era de ação violenta, havendo objetos

 

sujos de sangue, cabelos entre outras coisas, “nós encontramos alguma evidencias caracterizando um local de ação violenta. Encontramos vestígios de cabelo, encontramos uma faca com mancha de sangue e também algumas coisas em desalinho”, relataram. Ele ainda afirmou que a vizinhança foi ouvida a fim de ajudar a elucidar o que de fato ocorreu no apartamento, mas que no momento não poderia dar mais detalhes sobre o trabalho da perícia e que a Polícia tem cerca de 10 dias para apresentar os resultados da perícia.

 

Dr. Lino afirmou ter visto a jovem pessoalmente e que a mesma estaria bastante machucada, “ela está muito machucada, tem lesões evidentes no rosto”, ele seguiu explicando quais são os comportamentos comuns de homens em momentos de agressão a  mulheres, comportamentos esses que vão de encontro com o que relata a jovem Clara Emanuele, “o homem normalmente agride a mulher na face, eu estava discutindo isso com a delegada de policia Drª Patrícia, e realmente isso é uma característica. O homem gosta muito de agredir a mulher no rosto”, expôs o coordenador.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *