Pressão alta? 14 alimentos que deve expulsar da dieta

A pressão arterial elevada afeta grande parte da população. Frequentemente, os pacientes são impactados pelos sintomas associados à doença devido ao estilo de vida que seguem. Sedentarismo, fumar e obesidade são fatores que contribuem para a incidência de hipertensão, enquanto uma alimentação saudável ajuda a reduzir naturalmente a pressão alta.   Mas afinal, que alimentos deve evitar para diminuir … Leia Mais


Moradora cobra da prefeitura de Mutuípe recuperação de estrada

Uma moradora da zona rural de Mutuípe, utilizou o Facebook para cobrar da prefeitura recuperação de estradas vicinais. Segundo ela, o trecho liga a a região da Pindoba das Duas Barras do Fojo ao Córrego da Gia e Água Fria. ”Venho através desse meio de comunicação solicitar encarecidamente que a gestão atual possa fazer a … Leia Mais



Preso homem flagrado abusando de adolescente

Uma denúncia anônima encaminhada à polícia resultou na prisão de Clarindo Rodrigues da Silva, na sexta-feira (12), por policiais da Delegacia Territorial (DT), de Amélia Rodrigues, distante 84 quilômetros de Salvador. O homem, conhecido como Tonho, foi flagrado abusado sexualmente de um adolescente. De acordo com o delegado Idelfonso Gomes, titular da DT/Amélia, os policiais … Leia Mais


Mulher viveu 99 anos com os órgãos do lado errado do corpo


Após falecer em outubro de 2017, a norte-americana Rose Marie Bentley, teve o corpo doado para pesquisas em uma universidade de Portland, no estado do Oregon. Porém, nada de estranho tinha sido detectado até alunos de uma turma de anatomia perceberem que muitos de seus órgãos não estavam onde deveriam.

Apesar de ter realizado várias cirurgias, sua curiosa situação não havia sido identificada. Os médicos se mostraram surpresos por ela ter conseguido levar uma vida tão longa e saudável.

Rose tinha uma condição chamada situs inversus com levocardia, o que significa que a posição do fígado, do estômago e de outros órgãos abdominais era invertida da direita para a esquerda em seu corpo. Seu coração, no entanto, permaneceu na posição normal, levemente à esquerda.

Varelanoticias


Especialista alerta para os riscos de menosprezar alergias e revela aumento de casos graves

Casos de alergia e intolerância estão se tonando mais recorrentes.


Foto: Reprodução / Natural Cura

A comunidade médica vem constatando um aumento da gravidade e da quantidade de manifestações de reações alérgicas em todo o mundo. O alerta foi feito nos últimos dias, quando foi comemorada a Semana Mundial da Alergia, que em 2019 teve como tema a alergia alimentar. “As proteínas estão fazendo reações diferentes, muito mais complexas, talvez uma forma de defesa do corpo para essa mudança alimentar que a gente tem visto”, apontou o médico José Carlison Oliveira, presidente da Associação Baiana de Alergia e Imunologia (Asbai) e membro do Comitê Nacional de Alergia Alimentar.

 

Ao Bahia Notícias, o especialista explicou que é preciso ter atenção à doença, que gera impactos na qualidade de vida, nos gastos e na rotina de muitas pessoas, principalmente quando não tratada de forma adequada. “A sociedade precisa entender que a gente está passando por um momento complexo. A alergia ficou como uma doença não entendida, mas hoje está virando uma coisa complexa, e a gente vê que muitos dos quadros graves que se vê no adulto são decorrência de processos alérgicos não resolvidos”, evidenciou José Carlison.

 

Segundo o médico já é “muito bem documentado” que os casos de alergia e intolerância têm sido mais recorrentes, inclusive em adultos que passam a ter problemas já com idade avançada. “O mais importante não é só o aumento da quantidade, porque o mundo tem muito mais gente, mas é um aumento da gravidade das formas atípicas”, afirmou. “O que a gente está vendo é que os adultos estão tendo mais reações que não tinham. E também cresce a quantidade de alimentos que antes eram bem tolerados no nosso meio e que hoje começam a fazer alergia”, inteirou, ao afirmar que, no futuro, todas as pessoas vão ficar um pouco intolerantes, dando o leite como exemplo.

 

O médico chamou a atenção para os vários tipos da doença e lamentou que ela seja menosprezada pela sociedade. Na avaliação dele, é dada pouca importância, principalmente para as manifestações como rinite e asma. “Na Bahia, cerca de 27% das pessoas tem asma ou rinite, é quase um terço da população. Olha o impacto que isso tem na saúde. E a grande maioria não trata porque são doenças que estão aí o tempo inteiro, são doenças crônicas”, lamentou Oliveira, que esclareceu ainda uma confusão comum entre as pessoas: a diferença entre alergia e intolerância: “Alergia é uma reação, uma resposta exagerada a alguma proteína de um alimento. Não é a um alimento todo, são proteínas específicas. Enquanto a intolerância é um problema de digestão de alguns açúcares. Neste caso o paciente não consegue digerir. Não tem proteína envolvida, tem problema gástrico”.

 

IMPORTÂNCIA DO DIAGNÓSTICO

O presidente da Associação Baiana de Alergia e Imunologia destacou a importância do diagnóstico e tratamento adequado. O médico apontou a deficiência de profissionais especialistas em alergia e imunologia atendendo da rede pública de saúde da Bahia. “Em Salvador temos o Hospital das Clínicas, com seis médicos, e o serviço no Octávio Mangabeira, com cinco médicos, que fazem consulta à população. E agora duas médicas no Martagão Gesteira, que pegam mais crianças. É isso que a gente tem para a Bahia toda”, lamentou.

 

Para ele, a deficiência de médicos alergologistas poderia ser compensada, ao menos em parte, com a preparação adequada de médicos generalistas nas unidades básicas de saúde. “Estes profissionais, se preparados, poderiam identificar corretamente a doença e saber quando há necessidade de encaminhar o paciente para um especialista em alergia”, sugeriu, reforçando que a agenda de atendimentos no Hospital das Clínicas já está lotada até o mês de novembro deste ano.

 

Para permitir essa identificação, a história clínica do paciente foi apontada pelo especialista como fundamental, mais até do que os testes feitos em laboratório. “No paciente que tem alergia, o diagnóstico é feito embasado em uma história clínica muito bem feita, quando ele tem histórico de uma resposta alimentar que se repete, que está associada a esse alimento. […] Nem sempre o exame [laboratorial] positivo indica que você tem a doença alérgica. Se você está tolerando o alimento, não pode tirar isso da vida. Aquilo é um marcador apenas, não quer dizer que tenha a doença”, deixou claro o médico sobre os testes alérgicos.

 

A confirmação de intolerância é diferente da de alergia. O alergologista explicou não existem maneiras de medir a quantidade de enzimas digestivas. Para o diagnóstico, o paciente é submetido a um teste em que ele consome o açúcar em que há desconfiança e é observada a resposta do organismo. O profissional responsável pelo tratamento e acompanhamento dos pacientes com intolerância alimentar é o gastroenterologista.

 

“Alergia tem possibilidade de cura, por ser manifestação imunológica. Quando se deixa de se expor àquele alimento, o sistema entende que aquilo que não está sendo apresentado e a reação vai caindo”, acrescentou.

 

AVANÇOS TECNOLÓGICOS

Graças às tecnologias e pesquisas recentes os pacientes portadores de alergias, principalmente as alimentares, têm tido a oportunidade de ter uma maior qualidade de vida, conforme apontado pelo presidente da Asbai.

 

“A tecnologia contribuiu para entender mais, porque a gente já tem como detectar quais proteínas causam os episódios e se pode quebrar essas proteínas e aquele alimento pode ser acessado pela pessoa com alergia. Ao mesmo tempo, para quem tem intolerância, existe a possibilidade de uso de enzimas digestivas que dão conforto maior para o paciente”. As informações são do Bahia Notícias.


Ingestão de Fast food mata mais do que cigarro e pressão alta, apontam cientistas


Uma dieta rica em sal e gordura, e com poucas frutas ou fibras pode ser responsável por mais mortes no mundo do que o fumo e a pressão alta. É o que apontaram cientistas da Universidade de Washington (EUA), em um artigo publicado no periódico “The Lancet”.

O estudo constatou que cerca de uma em cada cinco mortes no mundo podem  ter relação com a alimentação pouco saudável, que é a causa principal de doenças cardíacas, câncer e diabetes.

Durante a pesquisas os estudiosos fizeram comparações entre dietas, taxas de doenças e de mortes em 195 países. Por fim, foi constatado que os maus hábitos alimentares estão se disseminando, com maior consumo de carne e menor consumo de vegetais, além da proliferação da chamada “fast food”.

Segundo O Globo a estimativa é de que em 2017 as dietas ruins mataram 11 milhões de pessoas, 22% do total de mortes no mundo. Enquanto isso, o cigarro foi responsável por 8 milhões de mortes, e a pressão alta, por pouco mais de 10 milhões.

Os cientistas responsáveis pelo estudo alertaram que, pior do que comer alimentos cheios de sal e de gordura, é não comer os saudáveis. A baixa ingestão de frutas e fibras e o alto consumo de sódio, presente no sal, causaram mais da metade das mortes ligadas à má alimentação. O restante está ligado ao alto consumo de carne vermelha e processada, refrigerantes e outras bebidas artificiais.

“Políticas que promovem o consumo de comida saudável podem ter melhores efeitos do que aquelas que tentam reduzir o consumo de fast food”, disse o chefe do estudo, Ashkan Afshin, da Universidade de Washington.


Moradora acusa vereador de Ubaíra por alagamento em sua casa

Cidade foi atingida por forte temporal na tarde desta quinta-feira (11).


Na tarde desta quinta-feira (11), a cidade de Ubaíra, no Vale do Jiquiriçá, foi atingida por um forte temporal. A chuva forte, rapidamente transformou-se em enxurrada causando transtornos a diversos moradores.

Em um vídeo compartido nas redes sociais uma moradora de identidade ainda desconhecida argumenta que o vereador Zé Muniz seria o responsável pelo alagamento em sua casa, segundo relato o movimento de terra no quintal do parlamentar teria ocasionado o desvio da água.

Não conseguimos falar com o vereador para justificar as acusações.


Moradora de Campo Grande procura por familiares em Salvador


Uma moradora de Campo Grande no Mato Grosso do Sul, entrou em contato com nossa redação na tentativa de localizar familiares, que ela acredita que residem em Salvador na Bahia.

Identificada por Evellyn Sol a jovem procura por Maria Risoleta dos Santos, a mãe chamava Guilhermina Gomes da Conceição, ela narra a seguir como seus familiares se perderam.

“o meu avô perdeu a mãe ainda quando novo, então foi criando por sua única irmã que com um tempo depois da mãe falecida acabou casando. Meu avô sempre trabalhou em beira de praia vendendo água, vassouras e tudo que ele achava que dava pra vender para ajudar em casa, porém um certo dia quando meu avô tinha 12 anos, ele saiu para vender vassouras e acabou indo muito longe de casa, quando ele se deu conta de que estava muito longe e já com fome e sede acabou usando o dinheiro da venda para comer e ficou com medo de voltar para casa e apanhar, pois o marido da irmã dele batia no meu avô. Então ele nunca mais voltou pra casa que era em SALVADOR na BAHIA, e foi pegando carona com um e com outro, até que chegou em CAMPO GRANDE no MATO GROSSO DO SUL, onde conheceu minha avó, casou e construiu sua família, mas nunca deixou de lembrar da irmã, e sempre procuramos elas, ja anunciamos em rádio em SALVADOR, ja escrevemos cartas até pra TV, ja fizemos tudo e nada de achar ela, e venho aqui pedir a ajuda de vocês, hoje meu avô esta com 84 anos o nome dele é Carlos Catarino dos Santos e procura a irmã que hoje deve ter 91 anos e se chama Maria Risoleta dos Santos, a mãe chamava Guilhermina Gomes da Conceição, meu avô era de Salvador. Peço pra quem puder compartilhar, quem conheça alguem com esse nome, algum parente qualquer pessoa, queremos muito que meu avô reveja sua irmã.”