Adenomiose: parece endometriose, mas não é

Útero aumentado, cólicas, dores pélvicas, sangramento excessivo e dor durante a relação sexual. Estes sintomas podem indicar uma série de doenças ginecológicas, entre elas a adenomiose. Pouco conhecida do público leigo, a adenomiose, até alguns anos atrás, só era diagnosticada depois que o útero era retirado e enviado para um estudo anatomopatológico. Isso quer dizer … Leia Mais


Cientistas suecos planejam criar cópias digitais de mortos

Especialistas suecos decidiram criar cópias digitais de pessoas mortas. No futuro, planeja-se criar robôs com aspecto parecido com o dos falecidos, informa a edição Dagen. Atualmente, a empresa funerária está buscando voluntários que aceitem que cientistas criem cópias de seus parentes falecidos. Na primeira fase do projeto, cientistas planejam recriar com a ajuda de inteligência … Leia Mais


Corpo de Bruna Marquezine é o mais cobiçado, diz personal de famosas

O personal Chico Salgado é responsável pela boa forma de celebridades como Bruna Marquezine, Giovanna Ewbank, Fiorella Mattheis, Grazi Massafera, Angélica e Sabrina Sato. Em entrevista ao Glamurama, ele contou que sempre dá um jeito de atender aos pedidos “desesperados” das famosas que chegam pelo “zap”. Chico afirmou que uma das solicitações mais frequentes entre suas … Leia Mais



Seis cachorros serão ‘cãodulas’ no Brasil Open de Tênis 2018


Seis cachorros foram “escaldados” para atuar como “cãodulas” e pegar bolinhas durante a semifinal do Brasil Open de Tênis 2018, no próximo dia 3 de março, em São Paulo.

O time de cães gandulas é formado por Bobby, Duda, Gabriel, Kika, Mel e Thor. A expectativa é que os animais, abrigados com a ONG Patinhas Unidas, conquistem atletas e público e tenham a chance de ganhar uma casa.

É a terceira edição da ação, que chama a atenção para a importância da adoção, independentemente da idade ou origem do animal.

Além do abandono, os “cãodulas” deste ano têm outro ponto em comum: adoram brincar com bolinhas, o que deixa a missão mais divertida para eles.

No ano passado, participaram do projeto animais das ONGs Projeto Segunda Chance e Cão Sem Dono. Apesar da repercussão, apenas um deles foi adotado em consequência do evento, conforme a PremieRpet, que lidera a iniciativa. Em 2016, os quatro cães que participaram conseguiram uma família.

CONHEÇA OS CÃODULAS

A ONG Patinhas Unidas abriga atualmente 60 cães e 14 gatos, em Jordanésia (SP).

Conheça abaixo cada um dos “cãodulas” deste ano, de acordo com informações da empresa de alimentos PremieRpet:

– Bobby – tem cinco anos e é dócil. Foi resgatado aos 45 dias de vida em uma rodovia.

– Duda – tem dois anos. É dócil, adora estar com pessoas. Foi resgatada recentemente, após ser amarrada no portão de uma clínica veterinária em uma noite de chuva.

– Gabriel – tem um ano e é um cão feliz, ativo e que adora correr. Aos sete meses foi entregue no abrigo pelo antigo dono, dentro de um saco de lixo.

– Mel – tem um ano, adora correr e brincar. Foi rejeitada pelos tutores e entregue no abrigo.

– Kika – tem cinco anos. Foi resgatada em uma ninhada de 13 filhotes doentes, em estrada movimentada. Dos 11 sobreviventes, apenas ela ainda aguarda adoção.

– Thor – tem cinco anos, é dócil e cheio de energia. Foi resgatado da rua aos dois meses, quando estava muito fraquinho.

QUER ADOTAR?

O Brasil Open de Tênis 2018 será realizado de 26 de fevereiro a 4 de março, no Ginásio do Ibiraquera, em São Paulo —veja informações sobre ingressos no site do torneio.

A participação dos animais está prevista para a tarde de 3 de março, um sábado, quando ocorrem as semifinais.

Quem quiser adotar algum dos cães participantes deve entrar em contato com a PremieRpet pelo telefone ‪0800-55-6666‬, de segunda à sexta,das ‪8h30‬ ‪às 17h30‬.


Mutuípe: cobrado pelo Mídia Bahia, encosta da rua Jaguaquara é realizada pela prefeitura

Moradores ficaram temerosos com o perigo de desabamento no início de fevereiro.


Os moradores da rua Jaguaquara em Mutuípe estão em festa, um obra de contenção de encostas aguardada há muitos anos foi tirada do papel.

Com a chuva do início do mês de fevereiro, o terreno cedeu danificando o calçamento, o caso foi denunciado pelo Mídia Bahia, a prefeitura atendeu a solicitação feita pela população e realizou a intervenção necessária para garantir a segurança dos que moram no local.

Em pouco mais de 15 dias a obra foi concluída nesta quarta-feira (21).

A grande expectativa agora é pelo início da obra de contenção da Rua Maracás, também esperada há muitos anos, o licitação já foi realizada e segundo a gestão, está em fase de liberação do recuso para assinatura da ordem de serviço.


Aprenda a recuperar os cabelos danificados pelo verão


A exposição ao sol, à água do mar, ao cloro da piscina e ao vento, aliada à falta de cuidados adequados durante as férias ou viagens colocam os cabelos em estado de alerta. Fios ressecados, pontas duplas e variação de cores são só alguns dos problemas recorrentes na estação mais quente do ano.

Marilia Kikuchi, consultora de beleza da Condor, disse que o primeiro passo é hidratar os fios. A dica da especialista é procurar um profissional para iniciar o tratamento e, em seguida, realizar a manutenção, em casa, de quinze em quinze dias.

 

“Vale lembrar que cada tipo de cabelo exige uma linha diferente. Escolhendo os produtos adequados, os resultados são mais promissores e o uso correto evita imprevistos, como queda dos fios, seborreia, oleosidade e caspa”, explicou.

Os chamados “cabelos normais” são os mais fáceis de tratar, pois permanecem macios e brilhantes por mais tempo. Já o tipo oleoso precisa ser lavado todos os dias e requer produtos específicos para controle da oleosidade, que deixa as madeixas com aspecto pesado. Por último, os cabelos secos são os que pedem mais atenção. Além de volumosos e difíceis de pentear, têm pontas quebradiças e opacas. “Nos casos mais críticos, o corte também pode ser uma boa alternativa para, não só eliminar os fios ressecados, como renovar o visual”, afirmou a consultora. Veja as dicas dela:

– Máscaras de hidratação combinam bem com a temporada, principalmente as que possuem fórmulas com óleos vegetais e aloe vera;

– Muita química prejudica os fios, por isso faça intervalos entre os processos;

– Água quente estimula a oleosidade do couro cabeludo e resseca as pontas. A temperatura ideal para lavar os cabelos é morna ou fria;

– Ao enxaguar o cabelo, retire por completo o shampoo e o condicionador, pois os resíduos acumulados podem provocar escamação ou coceira.

Noticiasaominuto



Conheça a síndrome de Asperger, o autismo leve de Benê da Malhação

O especialista que fala sobre o assunto é o neuropediatra do Instituto NeuroSaber.


Foto: reprodução Gshow

O Transtorno de Asperger, considerado um tipo de autismo leve, tem sido retratado pela personagem Benê (Daphne Bozaski) na novela Malhação, da Rede Globo. A trama apresenta a personagem tendo dificuldade social em se relacionar, por conta do excesso de sinceridade, falando tudo que pensa, além de um interesse exagerado em corrida e piano.

Segundo o neuropediatra Dr Clay Brites, um dos fundadores do Instituto NeuroSaber, essas características são típicas de quem tem o Transtorno de Asperger, que é uma condição mais leve dentro do espectro autista.

O especialista explica que há diferentes níveis de intensidade do autismo, como, por exemplo, leve, moderada e severa. São definidas pelo grau de comprometimento do desenvolvimento neuropsicomotor, das questões adaptativas, nível de dependência e necessidade de intervenções para obter mínima funcionalidade.

O Asperger é considerado um autismo leve, pois a pessoa apresenta somente restrições visíveis na forma de falar, de expressar emoções, de entender linguagem subliminar (duplo sentido) e processos de comunicação que dependem de mecanismos não-verbais, como gestos, expressões faciais e mudanças de tom da voz.

– Nela, o comprometimento poupa, de certa forma, a inteligência e a linguagem. Por exemplo, eles têm uma maior funcionalidade e mais autonomia para se adaptar aos desafios sociais e acadêmicos quando comparados com outros tipos. Além disso, têm tendência a intelectualização e racionalização de tudo, além de exagerado interesse por determinados assuntos – comenta.

Brites fala ainda que o Transtorno de Asperger tem origem genética. Isso significa que alguém da família pode ter tido o mesmo distúrbio e/ou  pessoas que podem apresentar traços de personalidade antissocial.  “Não existe uma causa apenas que seja a responsável pelo surgimento desta condição.”

Diagnóstico e tratamento

O neuropediatra diz que a melhor maneira de lidar com o diagnóstico é procurar ajuda assim que a suspeita do Transtorno de Asperger for levantada. “Apesar de sua descrição não existir mais no Manual de Transtornos Mentais, o DSM-5, desde 2014, ela está muito bem definida e descrita clinicamente desde da década de 70 e é citada e descrita no Código Internacional de Doenças, o CID-10”.

– Mas é importante ressaltar com os pais que somente com o acompanhamento de profissionais para auxiliar quem o apresenta e a sua família, a qualidade de vida do (a) filho(a) tende a ficar melhor pois todos passam a entender o que acontece e como lidar – destaca.

Por ser um transtorno autístico mais ameno, Brites comenta que as formas de tratamento também costumam ser proporcionais. Ele ressalta que os pais jamais devem negligenciar a situação de seus filhos adotando a automedicação e o uso de procedimentos alternativos como forma de promover a intervenção. “O acompanhamento profissional deve ser priorizado. Somente desta maneira haverá a solução desejada pois existem formas bem descritas na literatura de manejo comportamental, psicoeducativo e medicamentoso.”

Quando a condição é diagnosticada na infância, o conselho é que os pais levem a criança ao atendimento psicológico e neuropsiquiátrico. Fazer isso é muito importante, pois os profissionais podem ajudar a criança a lidar com seus sentimentos, impulsionar a relação interpessoal e reduzir futuros sofrimentos.

Clay também indica aos pais se consultarem com um psiquiatra ou neurologista infantil com experiência na área. Dependendo das características apresentadas pela criança, o profissional vai receitar medicamentos que podem diminuir alguns sintomas negativos e disruptivos presentes em quem os apresenta, como problemas no sono, irritabilidade, a agitação e a hiperatividade, depressão, psicoses e fobia social.

– Em todos os casos, porém, a psicoterapia é indicada independente dos sintomas apresentados. O terapeuta saberá como lidar com o transtorno com a adoção de estratégias que vão melhorar suas habilidades sociais e a empatia.  Além disso, ele indicará outras demandas que serão responsáveis por atenuar os prejuízos sociais, escolares e aquelas relacionadas `a inserção no mercado de trabalho os quais costumam ser prejudicados pelas características manifestadas por quem tem o Transtorno- conclui.