Pelo estatuto, PT teria de expulsar Dirceu e Cia

Ao condenar José Dirceu, José Genoino e Delúbio Soares por corrupção ativa e formação de quadrilha, o STF impôs ao PT um desafio. Afora a necessidade de ajustar a tese segundo a qual o mensalão é uma “farsa”, o partido terá de decidir o que fazer com seu estatuto. Ou expulsa de seus quadros os … Leia Mais


ACM Neto repudia tentativa de venda de folha da prefeitura

O candidato do DEM a prefeito de Salvador, ACM Neto, declarou ser contra a licitação aberta pela Secretaria Municipal da Fazenda para a venda do direito de administrar a folha de pagamento da prefeitura. De acordo com a denúncia feita pela vereadora Aladilce Souza (PCdoB) nesta segunda-feira (22), a prefeitura de Salvador lançou um edital … Leia Mais


Lula quer ministro da Saúde para disputar governo de São Paulo em 2014

Animado com a passagem de Fernando Haddad para o 2º turno da eleição em São Paulo, e diante da possibilidade de vitória, levando-se em consideração que as pesquisas de intenção de votos indicam vantagem do petista sobre o tucano José Serra, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva já planeja lançar uma cara nova no … Leia Mais


João Henrique consegue direito de resposta contra propaganda de Pelegrino

Depois de tanto levar pau no horário eleitoral gratuito na capital baiana, o prefeito João Henrique (PP) conseguiu obter direito de resposta na propaganda do agora desafeto Nelson Pelegrino, candidato do PT em Salvador. A vitória teve como base programas do petista exibidos recentemente, nos quais é apontado como responsável pelo encurtamento do metrô da … Leia Mais


“Salvador não merece um governinho”, diz Dilma

Quase duas horas após o horário previsto, a presidente Dilma Rousselff subiu ao palanque montado na Praça na Prosaica, em Cajazeiras 10, para participar do comício do candidato a prefeito de Salvador Nelson Pelegrino (PT), nesta sexta-feira (19). Apesar de acenar e interagir com a plateia, a presidente parecia pouco confortável e no início do … Leia Mais


ACM Neto faz caminhada em Bate Estaca


O candidato a prefeito de Salvador pelo DEM, ACM Neto, realizou nesta quarta-feira (17) uma caminhada em Bate Estaca, no Jardim Cruzeiro, onde defendeu o legado de realizações do avô, Antonio Carlos Magalhães. “O PT espalha boatos mentirosos de que sou contra o Bolsa Família, como se a população não lembrasse que foi ACM quem idealizou o Fundo Nacional de Combate e Erradicação da Pobreza, que deu origem ao benefício”, contou.  O democrata estava acompanhado do deputado federal Fábio Souto (DEM) e dos estaduais Paulo Azi (DEM), Tom Araújo (DEM), Carlos Geilson (PTN), Adolfo Menezes (PSDB), Leur Lomanto Júnior (PMDB), Elmar Nascimento (PR), Sandro Régis (PR) e Augusto Castro (PSDB), além da vice Célia Sacramento e do presidente estadual do PV, Ivanilson Gomes. “As pessoas não esquecem tudo que ACM fez por Salvador e pela Bahia e esse é o legado que fica. Mas hoje a gente vive um outro momento político. Isso se reflete aqui nesta caminhada. A minha vice, Célia Sacramento, é de um partido que sempre esteve em outro plano político, e hoje está conosco. Muitos do que estiveram conosco no passado hoje estão com o PT”, analisou. ACM Neto voltou a falar que Salvador pode andar com as próprias pernas e que cabe ao prefeito resolver os problemas imediatos da cidade. “Muitas vezes, quando ouço o candidato do PT falar, eu penso que a gente está numa eleição para secretário de estado. Nunca disse que, eleito, não iria procurar os governos federal e estadual. Claro que vou fazer isso, com bons projetos. O que quero deixar claro é que Salvador precisa de um prefeito que tenha liderança para cobrar os investimentos na cidade, sem subordinação”, disse.

BN


João Leão e a conquista das prefeituras


Foto: Marcos Frahm

O deputado federal João Leão conquistou, com candidatos do PP ligados a ele, importantes prefeituras nas cidades interioranas. No Vale do Jiquiriçá, apesar das derratas em Santa Inês, Ubaíra, Brejões e Mutuípe, o PP de Leão obteve uma viória emblemática, que foi a de Jaguaquara, onde foi eleito Giuliano Martinelli contra o candidato Ricardo Leal – Lealdade (PT), considerado no pleito o preferido do governador Jaques Wagner, do secretário Rui Costa e do presidente da Assembleia Marcelo Nilo. Entre outros municípios baianos, Leão elegeu aliados em Lafaiete Coutinho (Zé Cocá), Itaberaba (João Filho), Barreiras (Antônio Henrique), Luís Eduardo Magalhães (Humberto Santa Cruz), Barra (Artur Silva), Santa Bárbara (Niltinho Menezes) e São Felipe (Chiquinho Ferreira).(Blog Marcos frahm)


ACM Neto apela para a sensibilidade de mães que perderam filhos para a violência


Os ataques deram o tom da propaganda eleitoral do candidato a prefeito de Salvador ACM Neto (DEM) nesta terça-feira (16). ACM Neto concentrou sua participação na TV destacando a violência na Bahia, responsabilizando a gestão do PT no Estado. Uma mãe relata ter perdido um filho que decidiu entrar para o mundo do tráfico. A propaganda mostrou que se tornou cada vez mais comum a perda de jovens, destacando que é possível que a prefeitura interrompa essa realidade apostando na prevenção. Para isso, a propaganda do democrata pontuou algumas propostas, como melhoria da iluminação pública, contratação de mais 2 mil homens para a Guarda Municipal, instalação de 400 câmeras de videomonitoramento, recuperação e construção de quadras de esporte, além da implantação de mais escolas de educação integral. “A insegurança e a violência tomaram conta das ruas da cidade, mas para enfrentar, vamos trabalhar na prevenção. É preciso investir nos nossos jovens melhorando a qualidade das escolas e proporcionando lazer”, afirmou. Geddel Vieira Lima, um dos líderes do PMDB baiano, ressaltou a importância de se votar em ACM Neto para evitar a hegemonia. (Amanda Barboza)


Modeir (PP) agradece ao povo de Mutuípe os votos obtidos


Em entrevista ao programa Cara a Cara com o Povo na Rádio Interativa o empresário e ex. candidato a prefeito de Mutuípe Modeir (PP), derrotado pelo compadre Carlinhos (PT) por 97 votos, agradeceu aos 6241 votos obtidos em 7 de outubro.

Modeir agradeceu à adesão das pessoas a sigla e comemorou o resultado obtido devido à falta de apoio de deputados, governador, senadores, e presidente da republica.

O ex. candidato falou dos compromissos de seu adversário Carlinhos que terá que assumir a divida de mais de 14 milhões de precatórios e afirmou que ele terá que trabalhar muito devido ao desejo de mudança que foi expresso nas urnas em 7 de outubro em suas palavras Modeir salientou que o prefeito eleito terá que dar uma nova cara a saúde de Mutuípe e não medir esforços para lutar pela implantação de uma universidade na cidade e a geração de empregos.

Perguntado sobre a possibilidade de saída do Tenente Mauricio na cidade, Modeir mostrou-se indignado com a possibilidade da saída na nova gestão, o empresário enfatizou os trabalhos prestados pelo tenente na cidade parabenizou o trabalho da PM e pediu a permanecia do mesmo na cidade para manter a paz e a ordem em Mutuípe.

Finalizado Modeir agradeceu a todos principalmente as pessoas que se entregaram de corpo e alma a campanha deixando muitas vezes de cumprir seus afazeres movidos pelo desejo de mudança, e parabenizou a todos inclusive empresários e candidatos a vereadores.

Modeir sai forte das eleições em Mutuípe devido ao resgate de votos para a oposição e pode ser um forte candidato em 2016 tudo dependerá do desenrolar da administração petista nos próximos 4 anos. O PT em Mutuípe segue para o quarto mandato.


Eduardo Campos já sonda partidos sobre 2014


Oficialmente, o PSB é aliado do PT federal e parceiro potencial de Dilma Rousseff em 2014. Em segredo, o partido discute com lideranças de outras legendas vinculadas ao governo um projeto alternativo para a sucessão presidencial.

Iniciados antes do primeiro turno da eleição municipal, os contatos são conduzidos por Eduardo Campos. Ele governa Pernambuco, preside o PSB e cultiva uma não declarada candidatura ao Planalto.

Entre as legendas já contactadas estão os governistas PDT e PTB. As conversas incluem também o “independente” PV e o indefinido PSD, partido nascido das costelas do oposicionista DEM.

Um partidário de Eduardo Campos utiliza dois vocábulos para definir as conversas: “sondagens” e “prospecções”. O objetivo é testar a receptividade de uma eventual candidatura presidencial de Eduardo Campos.

Verificou-se que é boa a acolhida ao nome de Eduardo Campos. Os interlocutores enxergam nele a perspectiva de poder. O diálogo flui bem, por exemplo, com o presidente do PDT, Carlos Lupi, afastado do Ministério do Trabalho por Dilma no ano passado.

A aceitação é boa no PTB de Roberto Jefferson, recém condenado no julgamento do mensalão. Em privado, também o presidente do PTB de São Paulo, deputado estadual Campos Machado, revela-se um entusiasta de Eduardo Campos.

No PSD, o prefeito paulistano Gilberto Kassab, presidente da legenda, tem uma dívida de gratidão com Eduardo Campos, que o ajudou a estruturar o novo partido. Na hipótese de se tornar candidato, o governador espera dispor do tempo de tevê da agremiação de Kassab, hoje com cinco dezenas de deputados federais.

De resto, Eduardo leva sua “prospecção” às fileiras do PMDB, sócio majoritário da coligação de Dilma, ao lado do PT. Recompôs em Pernambuco a aliança com o PMDB de Jarbas Vasconcelos, com quem estava rompido.

Em conversa com Eduardo, Jarbas lhe disse, na presença de testemunhas: se quiser levar adiante seu projeto, o governador terá de repetir em âmbito nacional o movimento que fez em Recife, rompendo com o PT.

Se fizer isso, acredita Jarbas, Eduardo vai se tornar, com seu apoio, uma alternativa presidencial “diferenciada”, mais viável que o tucano Aécio Neves. Ex-governador catarinense, o senador Luiz Henrique (PMDB-SC), pediu recentemente a Jarbas que intermediasse um encontro com Eduardo Campos. Em 2010, Jarbas e Luiz Henrique apoiaram o candidato tucano José Serra, contra Dilma.

Eduardo é visto como alternativa noutros diretórios do PMDB. Entre eles o da Bahia. Ali, Geddel Vieira Lima acaba de associar-se à candidatura de ACM Neto (DEM) à prefeitura de Salvador. Aparelha-se para enfrentar o PT na disputa pelo governo do Estado, em 2014. Algo que pode afastar o PMDB baiano da canoa de Dilma.

Governador de segundo mandato, Eduardo Campos ficará sem mandato em 2014. Declara em privado que não deseja virar senador. Muito menos deputado. Tampouco contempla a hipótese de tornar-se ministro.

Em público, declara que é cedo para discutir 2014. Longe dos refletores, não fala de outra coisa. Na cúpula do PT, pouca gente acredita que Eduardo Campos estará ao lado de Dilma. Avalia-se que ele disputará o Planalto nem que seja para projetar-se nacionalmente e marcar um lugar na fila de 2018. (Blog do Josias)