Em Salvador, Aécio tenta alavancar campanha de ACM Neto

“Para o futuro da democracia do País, nenhuma eleição é mais importante do que a de ACM Neto em Salvador”, afirmou o senador Aécio Neves (PSDB-MG), em comício da coligação “Pra Defender Salvador”, na noite desta sexta-feira, na sede de praia do Bahia, na Boca do Rio. Num discurso emocionado, o ex-governador de Minas Gerais … Leia Mais



Tiririca admite desistir da política e critica ‘interesses’ do Congresso

O deputado federal Tiririca (PR-SP) acusou a existência de “outros interesses” no Congresso e admite que não deverá tentar a reeleição nas eleições de 2014. Em entrevista à Rádio Liberdade FM, de Aracaju (SE) nesta quarta-feira (26), ele disse estar desacreditado da política. “Eu não sei se pretendo continuar, por ser muito difícil lá dentro … Leia Mais



Pesquisa Vox Populi/Band aponta empate técnico entre ACM Neto e Pelegrino

A mais nova pesquisa sobre a sucessão soteropolitana, realizada pelo instituto Vox Populi, em parceria com a Band, confirma a tendência de segundo turno apontada anteriormente pelo Ibope. De acordo com os números divulgados nesta quarta-feira (26) pela maior amostragem já realizada na capital, o candidato do DEM, ACM Neto, continua na liderança do pleito … Leia Mais


PMDB deve sentar com Pelegrino e ACM Neto para decidir apoio no segundo turno


Apesar de o candidato do PMDB a prefeito, Mário Kertész, já ter antecipado sua preferência pelo prefeiturável do PT, Nelson Pelegrino, num eventual segundo turno, seu partido pretende sentar com os dois candidatos que passarem pela primeira etapa do processo eleitoral, o que inclui ouvir também ACM Neto, do DEM.

“O PMDB vai sentar com os dois candidatos a prefeito que forem ao segundo turno, caso um deles não seja Mário Kertész”, diz um deputado estadual da legenda, antecipando que, diferentemente do prefeiturável peemedebista, a maioria da bancada estadual é pelo apoio ao candidato do DEM.

Este teria sido o motivo pelo qual o partido, liderado na Bahia pelos irmãos Vieira Lima – Geddel, vice-presidente de Pessoa Jurídica da Caixa, e o deputado federal Lúcio -, teria decidido sentar com os dois virtuais prefeituráveis que forem ao segundo turno ao invés de anunciar apoio automático.

O aceno para um entendimento com o PMDB em torno de Pelegrino foi feito na semana passada pelo governador Jaques Wagner (PT), que está rompido com o partido e seus dois principais líderes desde pouco antes da sucessão estadual passada, em 2010.

Ontem, a coluna Radar Online, da Veja, divulgou informação segundo a qual Geddel já teria negociado o apoio a ACM Neto no segundo turno em troca de ser apoiado pelo democrata à sucessão de Jaques Wagner, em 2014, o que nenhum dos dois confirmou ou desmentiu.

“O PMDB não aceitará patrulhamento. Vai sentar com os dois candidatos e na hora certa decidir a quem apoiar na sucessão do prefeito João Henrique (PP)”, diz outro parlamentar estadual da legenda, afirmando que ainda não é possível antecipar a posição que os peemedebistas assumirão na sucessão.

Mas, entre os democratas, há quem questione se a aproximação com Geddel e Lúcio nesta segunda etapa do processo eleitoral terá efetivamente algum resultado, por concluir que nem o tempo de TV – que no segundo turno é dividido igualmente pelos dois concorrentes – poderá agora ser agregado pelos peemedebistas ao democrata.

“Eles (os peemedebistas) tinham que ter vindo no primeiro turno para ajudar no tempo de TV. Agora, Inês é morta”, afirma o democrata, acrescentando não poder assegurar que sua opinião represente o que pensa, por exemplo, o candidato ACM Neto. E não pode mesmo

 


Pelegrino pede enquadramento de ACM Neto por crime de injúria


O candidato a prefeito da capital baiana pela coligação “Todos Juntos por Salvador”, Nelson Pelegrino, deu entrada, na tarde desta terça-feira (25), numa representação no Ministério Público Eleitoral para apurar crime na propaganda veiculada pela coligação “É hora de defender Salvador”, cujo candidato a prefeito é ACM Neto, que o incluiu no “Time do Mensalão”. Na representação, assinada pelo criminalista Maurício Vasconcelos, Pelegrino aponta o crime de injúria na propaganda da coligação adversária, previsto no art. 326 do Código Eleitoral, cuja pena é de até seis meses de detenção, ou pagamento de 30 a 60 dias/multa. O documento foi encaminhado ao procurador eleitoral, Sidney Madruga, que o distribuirá para um promotor, encarregado de fazer a análise do caso e definir se há indícios de que foi ferida a dignidade do candidato do PT.


Ibope divulga nova pesquisa de intenção de voto para prefeito de Salvador na quinta


O Ibope divulga na próxima quinta-feira (27) o resultado de pesquisa de intenção de votos para prefeito de Salvador, registrada neste sábado (22) no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-BA) sob o número BA-00236/2012. Contratado pela TV Bahia, o estudo começou a ser feito no mesmo dia do seu registro e vai ouvir 805 eleitores até a próxima quinta-feira (27). A metodologia de pesquisa será quantitativa e a margem de erro máxima estimada será de 3 pontos porcentuais para mais ou para menos, conforme descrito no Sistema de Registro de Pesquisas Eleitorais do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Nesta terça-feira (25), o Instituto Vox Populi divulga resultado de pesquisa que ouviu 1,5 mil eleitores.


Lúcio nega ‘apoio’ do PMDB no 2º governo de JH e o acusa de ‘ingratidão’ com Geddel


O presidente estadual do PMDB, deputado federal Lúcio Vieira Lima procurou o Bahia Notícias para rebater as declarações que o prefeito de Salvador, João Henrique (PP), fez ao jornal A Tarde, de que no seu segundo mandato à frente da administração municipal, teve a “ajuda do PMDB”. O parlamentar disse que partiu do princípio de que “quem cala, consente” e resolveu registrar sua versão sobre a relação do partido e a gestão de JH. “No que diz respeito ao PMDB, ou o prefeito não o considera um grande partido, ou falta descaradamente com a verdade com relação ao apoio [da legenda] no segundo governo”, disparou Lúcio. De acordo com o parlamentar, a sigla “deu o substancial e definitivo apoio durante o período em que ele esteve no PMDB, no primeiro governo, trazendo recursos de R$ 400 milhões para a cidade de Salvador e sendo responsável pelas maiores intervenções na cidade”, declarou, ao citar as obras da avenida Centenário e do Imbuí como exemplos. Lúcio Vieira Lima alfinetou o ex-correligionário ao recomendar que João Henrique “reclame com a população”, uma vez que tem reiterado que se sente “injustiçado”. Instigado a comentar a afirmação do prefeito ao A Tarde de que “grandes realizações de nossa administração estão sendo apropriadas de forma indevida por alguns candidatos, como se a prefeitura não tivesse participado”, Lúcio voltou a criticar João Henrique. “Ele é que se apropria das realizações do PMDB sem ter a dignidade de dar os créditos, mostrando ingratidão com o ex-ministro [da Integração Nacional] Geddel Vieira Lima”, afirmou o peemedebista.


Dilma participa da Assembleia Geral da ONU em Nova York


A presidente Dilma Rousseff participa de intensa agenda internacional nos próximos dias. Ela estará em Nova York deste domingo (23) até o dia 26, onde participará da 67ª Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU). A abertura será no dia 25. Em 2011, Dilma foi a primeira mulher a fazer o discurso de inauguração do evento, informa a Agência Brasil. A Assembleia Geral da ONU terá como tema principal a prevenção e a resolução pacífica de conflitos internacionais. Também será debatida a implementação dos compromissos assumidos na Conferência das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável (Rio+20). A presidente também participará de reuniões ministeriais do G4 (grupo formado pela Alemanha, o Brasil, a Índia e o Japão para efetivar a participação como membro do Conselho de Segurança da ONU) e do Brics (grupo que inclui o Brasil, a Rússia, Índia, China e África do Sul). As assessorias do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e da chanceler da Alemanha, Angela Merkel pediram reuniões. Ainda segundo a Agência Brasil, a abertura da Assembleia Geral das Nações Unidas é tradicionalmente realizada pelo chefe de Estado brasileiro em razão de o Brasil ter sido o primeiro país a aderir ao organismo internacional, em 1945.