PF indicia Temer e filha por ‘decreto dos portos’

A Polícia Federal, indiciou nesta terça-feira (16), o presidente da república, Michel Temer e sua filha Maristela Temer, por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, no chamado “decreto dos portos”. Na conclusão do inquérito a PF pediu também a indisponibilidade de bens do mandatário do país e sua filha. A PF pediu também a prisão … Leia Mais



Emprego formal cresce em agosto e gera 110.431 novas vagas no Brasil

Sete dos oito setores de atividade econômica tiveram desempenho positivo


O emprego apresentou novamente crescimento no Brasil. O mês de agosto fechou com +110.431 novas vagas no mercado formal, um acréscimo de +0,29% em relação ao mês anterior. Esse desempenho foi resultado de 1.353.422 admissões e de 1.242.991 desligamentos. Com isso, o estoque de empregos no país também aumentou e chegou a 38.436.882 vínculos.

A informação está no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado pelo Ministério do Trabalho nesta sexta-feira (21), que mostra também a movimentação do emprego formal este ano. O saldo de janeiro a agosto teve um acréscimo de +568.551 vagas, um crescimento de +1,50%. Nos últimos 12 meses, o aumento foi de +356.852 postos, uma variação de +0,94%.

Desempenho setorial

Houve crescimento em sete dos oito setores econômicos, sendo que o principal destaque foi na área dos Serviços, responsável por +66.256 novos postos, mais da metade das vagas abertas em agosto no país. O resultado foi registrado graças aos desempenhos dos subsetores de Ensino; Comércio e Administração de Imóveis, Valores Mobiliários e Serviço Técnico; Serviços de Alojamento, Alimentação, Reparação, Manutenção e Redação; e Serviços Médicos, Odontológicos e Veterinários.

 

O segundo melhor desempenho do mês foi o do Comércio, que fechou agosto com saldo de +17.859 vagas, abertas principalmente no subsetor do Comércio Varejista. O terceiro melhor saldo de agosto foi na Indústria de Transformação, que teve criação de +15.764 postos, puxados pela Indústria de Produtos Alimentícios, Bebidas e Álcool Etílico; Indústria Química de Produtos Farmacêuticos, Veterinários, Perfumaria; e Indústria Mecânica.

 

Também tiveram saldos positivos a Construção Civil (+11.800), Serviços Industriais de Utilidade Pública (SIUP) (+1.240), Extrativa Mineral (+467) e Administração Pública (+394). Apenas a Agropecuária registrou desempenho negativo com o fechamento de -3.349 vagas.

 

Desempenho regional

Todas as cinco regiões do país registraram crescimento no emprego formal em agosto. Proporcionalmente, os melhores desempenhos foram registrados no Nordeste, onde foram abertas +36.460 vagas, um acréscimo de +0,59% em relação ao estoque de julho, e no Norte, que abriu +9.308 postos, percentual +0,54% superior ao estoque do mês anterior. No Centro-Oeste foram gerados +13.117 empregos formais, um crescimento de +0,41%, e no Sudeste, +41.303 vagas, um aumento de +0,21%. No Sul o saldo do mês ficou +10.243 postos, um aumento de +0,14% em relação ao estoque de  julho.

 

Houve abertura de vagas em 22 das 27 unidades federativas. Em apenas cinco ocorreram fechamento de postos. Os três maiores crescimentos relativos foram no Nordeste do país. A Paraíba ficou em primeiro, chegando ao final de agosto com +7.244 empregos a mais, um crescimento de +1,85% em relação ao estoque de julho. Em segundo lugar ficou o Rio Grande do Norte, onde foram criados +4.486 postos, representando um acréscimo de +1,07%, e, em terceiro, Alagoas, com +3.890 novas vagas e aumento de +1,19%.

 

Os piores desempenhos foram registrados nos estados do Acre, que fechou -172 vagas e teve variação de -0,22% em relação ao estoque de julho; Sergipe, com -593 postos a menos e redução de -0,21%; e Rio Grande do Sul, que encerrou -4.028 empregos formais, uma variação de -0,16%.

 

Salário

O salário médio de admissão em agosto foi de R$ 1.541,53 e o salário médio de desligamento foi de R$ 1.700,80. Em termos reais (já considerada a deflação medida pelo INPC), houve ganho de R$ 5,26 (+0,34%) no salário de admissão e de R$ 9,90 (+0,59%) no salário de desligamento em comparação ao mês anterior.

 

Modernização Trabalhista

A distribuição do emprego entre as modalidades criadas a partir da Modernização Trabalhista (Lei nº 13.467/2017) ficou assim:

  • Desligamento mediante acordo entre empregador e empregado

Em agosto de 2018, houve 15.010 desligamentos mediante acordo entre empregador e empregado, envolvendo 11.293 estabelecimentos, em um universo de 10.383 empresas. Um total de 45 empregados realizou mais de um desligamento nesta modalidade. São Paulo foi o estado que registrou a maior quantidade de desligamentos (4.339), seguido por Paraná (1.575), Rio Grande do Sul (1.436), Santa Catarina (1.315), Minas Gerais (1.210) e Rio de Janeiro (1.202).

 

O setor que mais realizou desligamentos por acordo no último mês foi o de Serviços (7.336 desligamentos), seguido do Comércio (3.699), Indústria de transformação (2.454), Construção Civil (810), Agropecuária (520), SIUP (95), Extrativa Mineral (59) e Administração Pública (37).

 

As dez principais ocupações envolvidas foram as de vendedor de comércio varejista (812 desligamentos); auxiliar de escritório em geral (542); assistente administrativo (494); vigilante (476); faxineiro (474); motorista de caminhão de rotas regionais e internacionais (457); operador de caixa (424); alimentador de linha de produção (394); porteiro de edifícios (255) e recepcionista em geral (246).

 

Trabalho Intermitente

Na modalidade de trabalho intermitente, foram registradas 5.987 admissões e 1.991 desligamentos, gerando saldo de +3.996 empregos, envolvendo 2.270 estabelecimentos, em um universo de 1.741 empresas. Um total de 93 empregados teve mais de um contrato na condição de trabalhador intermitente. Os estados com maior número de contratos nesta modalidade em agosto foram São Paulo (1.005 postos), Rio de Janeiro (848), Minas Gerais (463), Rio Grande do Sul (253), Paraná (209) e Rio Grande do Norte (154).

 

O saldo de emprego dos contratos intermitentes distribuiu-se por Serviços (2.423 postos), Comércio (655), Construção Civil (476), Indústria de transformação (425), SIUP (20 postos), Extrativa Mineral (2 postos), Administração Pública (-2) e Agropecuária (-3).

 

As dez principais ocupações envolvidas foram assistente de vendas (228 postos); cuidador em saúde (185); servente de obras (181); mantenedor de sistemas eletroeletrônicos de segurança (176); vendedor de comercio varejista (136); faxineiro (121); alimentador de linha de produção (106); pedreiro (102); trabalhador da manutenção de edificações (98) e garçom (92).

 

Trabalho em Regime de Tempo Parcial

Foram registradas 7.374 admissões em regime de tempo parcial e 4.209 desligamentos em agosto, gerando um saldo de 3.165 empregos. O número de estabelecimentos envolvidos foi de 6.306 em um universo de 5.503 empresas. Um total de 55 empregados celebrou mais de um contrato em regime de tempo parcial, sendo um empregado com jornada maior que 26 horas. Os estados com maior número de contratos neste regime foram São Paulo (515 postos), Paraná (424), Ceará (405), Santa Catarina (401), Minas Gerais (273) e Rio de Janeiro (167).

 

Do ponto de vista setorial, o saldo de emprego em regime de tempo parcial distribuiu-se por Serviços (2.147 postos), Comércio (643), Indústria de transformação (241), Agropecuária (71), Construção Civil (40), Administração Pública (16), SIUP (4) e Extrativa Mineral (3).

 

As dez principais ocupações segundo saldo de emprego em regime de tempo parcial foram faxineiro (206); professor de ensino superior na área de didática (197); operador de caixa (178); professor de ensino superior na área de prática de ensino (149); auxiliar de escritório em geral (139); repositor de mercadorias (130); professor da educação de jovens e adultos do ensino fundamental – 1ª a 4ª série (125); vendedor de comércio varejista (96); cozinheiro geral (87) e cuidador de idosos (84).

 


Ubaíra – Carreta carregada de cerveja tomba e motorista morre


Uma carreta da cervejaria Itaipava, desceu uma ribanceira na Br-420, trecho do município de Ubaíira no Vale do Jiquiricá, na manhã desta quinta-feira (06).

De acordo com informações de populares o condutor tentou sair do veículo, mas não teve êxito e acabou morrendo.

A identidade da vítima e as causas do acidente ainda são desconhecida.

Equipes da Polícia Militar e Samu foram acionadas, mas não foi possível salvar a vítima.


Acidente de trânsito com vítima fatal é registrado em Ubaíra

Vítimas foram lançadas para fora do veículo. Acidente ocorreu na localidade de Araci, zona rural do município.


Um acidente de trânsito foi registrado na noite deste domingo (26), na localidade de Araci, município de Ubaíra, Vale do Jiquiriçá, por volta de 23h15min.

Segundo informações da Polícia Militar, quatro pessoas a bordo de um veículo Fiat uno de placa OLD 8383, licenciado do próprio município, retornavam da cidade vizinha de Cravolândia, onde teriam participado de uma festa, ao perder o controle o condutor bateu num ponte de ônibus e capotou.

Uma das vítimas saiu sem ferimentos e não teve o nome revelado, as outras três, foram projetados para fora do veículo, sendo: Ana Cláudia de Jesus dos Santos, 39 anos, Antônio Sabino de Argolo Filho, 40 anos e Ana Cleide Jesus dos Santos, 34 anos.

Os feridos foram socorridos pelo Serviço Móvel de Urgência – SAMU para o Hospital de Ubaíra, mas Ana Cleide Jesus dos Santos, não resistiu aos ferimentos e faleceu.

Veja também: Mutuípe sedia 6º Mega Encontro de Cicloturismo, veja vídeo

As causas do acidente não foram reveladas, o estado de saúde das outras vítimas é desconhecido.

 

 

 


Ubaíra: para vereador população precisa se atentar as reformas em curso no país


Além dos escanda-los do mensalão e da operação Lava Jato que assolou o país na última década, o professor Eliomar, vereador do município de Ubaíra disse a nossa equipe que um dos temas centrais que deve servir de paradigma para avaliação do voto é as reformas em curso no Brasil e principalmente a reforma previdenciária. De acordo com o parlamentar o texto reformista é perverso e só não foi aprovado no ano passado por contar da eleição deste ano, “os deputados ficaram com medo de perder voto e por esta razão não votaram”. Declarou ele.

O vereador Eliomar disse ainda que se a reforma da previdência for aprovada como esta sendo tramada, os mais pobres é quem irão arcar com o maior prejuízo, principalmente a população rural e aquelas pessoas mais pobres que se quer tem condições de fazer o recolhimento mínimo ao tesouro.

Veja na integra o que disse o parlamentar “uma das maiores preocupações nossas, sem sombra de dúvidas são as reformas, precisamos conduzir ao congresso nacional políticos experientes e comprometidos, deputados que não votem a favor destas reformas que via de regra são tramas armadas pera a população brasileira, estou extremamente preocupado com isso, vou votar em quem defende o povo.” Disse ele.

Em Ubaíra o professor Eliomar vota e esta fazendo campanha para Jurandy Oliveira e Marcelo Nilo, os quais ele diz estar comprometido com o povo “voto em dois homens importantes para Ubaíra: Jurandy Oliveira é o principal representante de Ubaíra junto ao Governo do Estado e Marcelo Nilo vai nos representar em Brasília, vai pisar na cabeça das cobras que estão aninhadas no Congresso Nacional, vai ajudar derrotar s a reforma da previdência e assegurar os direitos das pessoas a o benéficos sociais”, finaliza o vereador.


Ubaíra: prefeito já está autorizado a militarizar sistema público de ensino


Colégio Militar de Jequié

A discussão sobre a militarização dos sistemas públicos de ensino é uma realidade no Brasil. Enquanto as autoridades dos diversos sistemas discutem esta ideia, em Ubaíra os avanços neste sentido são mais claros.

O município é pioneiro na Bahia a constituir lei neste sentido. Atualmente o prefeito já está autorizado por lei a militarizar o sistema público de ensino, a medida pode ser tomada a qualquer momento. No final do primeiro semestre deste ano, os 11 (onze) vereadores aprovaram o projeto de lei que garante este poder ao prefeito, o projeto foi sancionado e dado a devida publicidade.

O fato de existir a lei autorizativa não obriga o gestor adotar a medida, no entanto o mesmo já tem autorização para de forma discricionária aplicá-la. Nos diversos sistemas espalhados pelo Brasil os pais são favoráveis a sistemas de ensino mas rígidos onde seus filhos possam aprender e serem formados cidadãos.