Aécio diz que institutos de pesquisa erraram

O candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, afirmou nesta terça-feira (21) durante entrevista coletiva em Campo Grande (MS), que os institutos de pesquisa devem explicação ao “povo brasileiro” sobre o resultado das pesquisas eleitorais. Levantamento divulgado nesta segunda-feira pelo Instituto Datafolha* indicou o presidenciável com 48% das intenções de voto contra 52% … Leia Mais




Léo critica Rui Costa: lamento que a política tenha chegado a esse nível

As declarações do governador eleito, Rui Costa (PT), sobre o beneficiamento da prefeitura de Salvador às empresas de comunicação ligadas ao prefeito ACM Neto (DEM) ainda repercutem. Quem tomou as dores do gestor de Salvador foi o líder do DEM na Câmara Municipal, Léo Prates. “Lamento que a política tenha chegado a esse nível”, assinalou. … Leia Mais


Alckmin pede a ONU que corrija relatório sobre falta de água em São Paulo

O governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB) enviou um ofício ao secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon no dia 9 de setembro para cobrar da entidade que sejam corrigidas as conclusões sobre a crise de água no Estado. Divulgado pela coluna do jornalista Fernando Rodrigues nesta terça-feira (21), o documento utiliza a proximidade da Cúpula … Leia Mais


Firmino Alves: Vereador acusado de agredir filha e namorada dela troca socos com populares


VEREADOR - FIRMINIO ALVESO presidente da Câmara de Vereadores de Firmino Alves, Edmílson Freitas (PSB), se envolveu em uma confusão na noite desta segunda-feira (20) após a sessão do legislativo municipal. De acordo com o site Políticos do Sul da Bahia, que divulgou um vídeo com o momento em que Freitas troca socos com populares, havia uma mobilização popular na porta da Câmara e o vereador precisou ser escoltado pela Política Militar. Freitas ganhou notoriedade recentemente após agredir a filha e a namorada dela sob a justificativa de que teria confundido ambas com um “ladrão de galinha”.


‘Foi montado’, diz major exonerado da SSP do Amazonas após denúncias


MAJOR PM - AMAZONASO subsecretário de Segurança Pública do Amazonas, o major Carliomar Brandão, exonerado nesta segunda-feira (20), um dia após o site da revista Veja divulgar um áudio no qual ele conversa com presidiários, deu entrevista inserida ao final do programa político do governador José Melo (Pros), que tenta a reeleição no pleito deste ano. Segundo o PM, a conversa ocorreu, mas o áudio foi manipulado para sugerir que ele negociava apoio com traficantes da facção criminosa Família do Norte. “Aconteceu, mas não com essa conotação. Eu recebi a informação de que teria uma rebelião em um determinado presídio e que iriam morrer dez pessoas de um grupo rival. A sociedade clama para não ter violência, então meu papel é esse. Eu tenho que estar dentro de presídio, tenho que evitar mortes”, argumentou. O governo do Amazonas entrou com uma ação nesta terça (20) para pedir a perícia judicial da gravação. O major reforça que o diálogo “foi montado”. “Tem coisas que foram faladas no início, colocaram para o final e vice-versa, tentando dar uma conotação política da minha ida ao presídio. Volto a falar, se eu tivesse falado alguma coisa relacionado a política, com certeza estava no áudio”, afirma. No vídeo, Brandão pediu respeito à sua família e justificou fazer o pedido por conta de uma proposta de suborno para confirmar que foi ao presídio pedir votos para Melo. “Ofereceram dinheiro para confirmar uma coisa que não existe, que eu estava lá pra falar do governador, pedindo voto para o governador. Eu não sou homem pra isso. Eu tenho 22 anos de polícia e não tenho sequer uma repreensão na minha ficha”, protestou ele, que diz ter aceitado a exoneração, ordenada pelo governador após a polêmica, com “a maior naturalidade do mundo”. “Até porque não cairia bem eu estar lá no sistema até que a verdade apareça. E pensarem que eu estaria manipulando A, B ou C”, disse. Veja o programa:


ACM Neto reage e diz que vai recorrer à Justiça para que Rui explique declarações sobre ‘dutos’


ACM NETO - FORMALO prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), afirmou nesta terça-feira (21) que vai processar o governador eleito da Bahia, Rui Costa (PT), por calúnia e difamação. A tensão é resultado do declaração do petista de que a prefeitura da capital baiana possui “um duto que sai da prefeitura e vai direto para rádio, jornais e a TV, que é de sua propriedade [da família do prefeito]”. “O governador eleito está cometendo um crime e para tanto será chamado à Justiça para que prove as suas declarações”, informou ACM Neto, por meio de nota. Segundo o prefeito, o Palácio Thomé de Souza segue critérios objetivos para em seu planejamento de mídia e anuncia nos principais veículos da cidade e que, no caso da TV Bahia, os valores estão bem abaixo da mídia técnica. “Rui Costa deviria era ter a coragem de apresentar os gastos do Estado em publicidade, principalmente na TV Bahia e não agir com má fé. O governo do Estado é que é um campeão de anúncios”, provocou o prefeito.


Rui Costa critica possível vitória de Aécio e diz que ACM Neto fez duto de desvio de publicidade


RUI COSTA - DISCURSOO governador eleito Rui Costa (PT) acusou o prefeito de Salvador ACM Neto (DEM) de desviar, atráves da publicidade, uma “verdadeira fortuna” para os jornais, rádios e televisão filiada da Globo via verba de publicidade. Em entrevista para o Broadcast Político nesta segunda-feira (20), Costa teria também comparado a situação com o mesmo feito que Áecio supostamente fazia em sua gestão como governador de Minas Gerais. “É na verdade um duto que sai da prefeitura e vai direto para rádio, jornais e a TV, que é de sua propriedade. Nós sempre perguntamos se eticamente isso é correto”, atacou o governador eleito. A cinco dias da eleição presidencial, o governador eleito da Bahia, Rui Costa (PT), considerou que uma vitória do candidato Aécio Neves (PSDB) seria “péssima” para o Nordeste, podendo acarretar uma possível desindustrialização na região. “Considero péssimo não só para Bahia como para o nordeste brasileiro (a eleição de Aécio). Se fizermos uma fotografia do Nordeste de 15 anos atrás com o de hoje, as diferenças são gritantes”, afirmou o petista. “A economia, a empregabilidade e o dinamismo econômico da Bahia e do Nordeste mudaram radicalmente (no governo PT). Por isso, eu tenho a nítida compreensão de que, com a eleição do candidato do PSDB, isso não se manterá e haverá um retrocesso”. O governador eleito cita como exemplo a guerra fiscal envolvendo Bahia, Minas Gerais e São Paulo. “Um exemplo disso é a perseguição que o Aécio, quando era governador, depois o sucessor dele (Antônio Anastasia) e mesmo o governo de São Paulo fazem com a industrialização da Bahia e do Nordeste. É o caso concreto da Ford na Bahia, que eles insistem em não reconhecer os incentivos fiscais e cobram, judicialmente, uma suposta dívida dos carros que são vendidos para Minas e São Paulo. Isso é uma nítida tentativa de fechar fábricas na Bahia e no Nordeste”, ressaltou. Apesar das críticas ao PSDB, o governador eleito afirma que, caso o tucano seja eleito, irá cobrar o que é de “direito” do Estado na área dos investimentos em obras e infraestrutura. O petista também rebateu críticas do atual prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM). No último dia 9 de outubro, ACM Neto afirmou também em entrevista ao Estadão que o modo de governar do PT na Bahia é “truculento”, recorrendo ao uso “intenso da máquina” para se manter no poder. Rui Costa minimizou, entretanto, um possível impacto eleitoral das declarações da presidente Dilma Rousseff, que admitiu no último sábado, 18, ter havido desvio de recursos na Petrobras, no esquema coordenado pelo ex-diretor da estatal Paulo Roberto Costa. O mesmo tom foi usado pelo petista ao avaliar a operação da Polícia Federal realizada no dia de hoje, que desarticulou uma quadrilha que atua em fraudes de licitações de órgãos públicos federais. Foram expedidos seis mandados de prisão temporária e 14 de busca e apreensão. “Acredito que não terá impacto, porque pessoas boas e que fizerem coisas erradas têm em todos partidos políticos… Acho que toda a generalização não ajuda a separar o joio do trigo. O que temos que reforçar são as instituições, como ao longo dos últimos anos tem sido feito.


Por conta da votação do segundo turno, eleitores não podem ser presos a partir desta terça


URNA - CONFIRMAPor determinação do Código Eleitoral, a partir desta terça-feira (21) até 48 horas após o encerramento da votação do segundo turno, que ocorre no próximo domingo (26), nenhum eleitor poderá ser preso ou detido, exceto por flagrante, em decorrência de sentença por crime inafiançável ou por desrespeito a salvo-conduto. Na Bahia, ocorre apenas a escolha entre Aécio Neves (PSDB) ou Dilma Rousseff (PT) para presidente da República, já que o pleito estadual foi definido já no primeiro turno. No entanto, apesar do horário de verão, que começou no último domingo, os eleitores deverão se dirigir a sua seção eleitoral entre as 8h e as 17h, no horário local. Com informações da Agência Brasil.